Fale Conosco
:: Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018
A A A









Valid XHTML 1.0 Strict  CSS vlido!

Notícias

  • Acesse nossa página para Rádio Amadores.

  • Check our Amateur Radio Operator Page.

  • Participe do projeto! Envie os dados recebidos do NCBR-1 ou conte-nos sua experiência. Acesse aqui.

  • 2017 [+]
    24 de Julho de 2017

    - Enquanto o NanosatC-Br1 continua a operar e enviar seus dados da plataforma e de seus experimentos, o NanosatC-Br2 aproxima-se da sua fase final de desenvolvimento para entrada na fase de testes ambientais e de vibração no LIT. Dos 6 experimentos 3 já foram entregues e estão em testes de integração com a plataforma e com o software de bordo desenvolvido in house. Os 3 experimentos restantes serão colocados em uma única placa e houve atrasos nesta contratação devido a questões orçamentárias e também na definição de um componente (FPGA) que necessitou ser trocado para classe industrial ao invés de comercial para maior confiabilidade de operação em temperaturas abaixo de 0°C. A previsão de entrega da placa com os 3 experimentos é para Out/Nov. Maiores detalhes sobre o NanosatC-Br2 podem ser vistos na aba "Missões" e "NanosatC-Br2" deste site, com informações atualizadas até esta data.

    19 de Junho de 2017

    - O NanosatC-Br1 completou hoje 3 anos em órbita enviando telemetrias das cargas úteis e de todos os subsistemas de sua plataforma. Todas as cargas úteis e subsistemas, exceto as baterias no subsistema de potência continuam a funcionar normalmente. As baterias não conseguem mais reter carga, o que faz com o que o NanosatC-Br1 só possa transmitir quando em visada pelo Sol. Os dados recebidos hoje estão abaixo. Agradecemos aos radioamadores Reiner Rothe, da Alemanha e Paulo Leite (PV8DX), de Boa Vista, RR o envio destes dados. Ambos são colaboradores do projeto com o rastreio e envio de dados desde o seu lançamento. Abaixo veja um frame destes dados.



    20 de Fevereiro de 2017

    - O NanosatC-Br1 completou mais de dois anos e meio em órbita. Continua transmitindo dados de sua plataforma e de seus experimentos através de seu beacon nominal com cerca de 128 K bytes a cada 30 segundos. Abaixo imagens recebidas em estação localizada em Boa Vista, RR, do radioamador Paulo Leite (PV8DX) a quem mais uma vez agradecemos pela contribuição ao projeto. Nelas vê-se o NanosatC-Br1 e próximo a ele o cubesat da Universidade de Delft, Delfi C3, transmitindo em frequência bem próxima.


    2016 [+]
    19 de Junho

    - O NanosatC-Br1 completou hoje dois anos em órbita enviando dados de sua plataforma e de seus experimentos; os dados de hoje foram recebidos por radioamador na Alemanha e enviados para o radioamador brasileiro Paulo Leite (PV8DX) em Roraima em formato kss, transcodificados e enviados para o banco de dados do projeto. Abaixo veja um frame destes dados.



    08 de Junho

    - Os resultados do terceiro experimento a bordo do NanosatC-Br1 (FPGA/UFRGS) foram mostrados hoje pela sua investigadora principal, Dra. Fernanda Kastensmidt, no I Intl. Cubesat Symposium of Brasilia, promovido pelo NuCOPE - Núcleo de Controle de Projetos Espaciais do Comando da Aeronáutica. Com isto todos os resultados obtidos com os experimentos a bordo do NanosatC-Br1 foram divulgados à sociedade científico-tecnológica brasileira e internacional, demonstrando o sucesso da missão através destes resultados.

    15 de Abril

    - O NanosatC-Br1 continua enviando regularmente os dados do satélite através do seu beacon em modo nominal com informações de todos os seus sub-sistemas e cargas úteis. Todos eles, com exceção das baterias continuam a funcionar nominalmente como demonstrado pelas suas respectivas temperaturas, correntes, voltagens e dados. Nesta e na última semana os dados foram recebidos por radioamadores na Alemanha (Reiner) e Boa Vista, Roraima (Paulo), parceiros do projeto e a quem mais uma vez agradecemos. Estes dados foram recebidos em formato KSS, transformados pela equipe de solo do projeto em dados de engenharia, com aqueles valores, em planilhas Excel, e transmitidos pela estação de Santa Maria para armazenamento na área do servidor do INPE em São José dos Campos, dedicado ao projeto. Estes e os demais dados recebidos até hoje podem ser acessados por alunos, pesquisadores e outros interessados através de log in e senha individuais.

    Dia 19 de Junho próximo o NanosatC-Br1 completará dois anos em órbita.

    24 de Fevereiro

    - Desde meados de Dezembro, o NanosatC-Br1 teve o seu modo de transmissão de beacon alterado permanentemente para transmissão em modo nominal. Isto foi conseguido após cuidadosas manobras de operação feitas em conjunto com a equipe do projeto no Brasil e a empresa ISIS, responsável pelo desenvolvimento do radio de bordo da plataforma. Finalmente uma série de comandos foram enviados pela estação da empresa em Delft, Holanda, que mudaram o modo de transmissão do beacon em operação permanente para o modo nominal, em transmissão digital em BPSK, e não mais em modo de segurança em código Morse.

    Com isto, desde este dia (15 de Dezembro) o NanosatC-Br1 transmite 165 kbytes de informação a cada transmissão em intervalos de 30 segundos. Com isto voltaram a ser recebidos dados de todas as cargas úteis, além de dados de todos os subsistemas da plataforma. Todos os subsistemas, exceto o de suprimento de energia, e todas as cargas úteis operam nominalmente em voltagem, corrente, temperatura, performance etc. E os dados são recebido em diferentes estações de radioaamadores ao redor do mundo, notadamente, Japão , EUA e Alemanha, além das brasileiras de norte (Roraima) a Sul (Santa Maria e Porto Alegre). Estes dados aumentaram em muito o volume dos bancos de dados obtidos com o projeto e estão disponibilizados aos pesquisadores responsáveis pelos experimentos de bordo.

    O presente estado do NanosatC-Br1, os resultados obtidos até aqui e a continuação do Programa serão apresentados na próxima semana em Florianópolis no II Latin American IAA CubeSat Workshop por alunos e pesquisadores envolvidos com o projeto nas seguintes sessões: Session 1 - IAA-BR-01-04, Keynote March 2nd., 09:30-10:00 hrs. and Session 9 - IAA-BR-09-05, além da sessão de posters.

    2015 [+]
    10 de Novembro

    - O NanosatC-Br1 transmitiu hoje 35 beacons em modo nominal com 160 bytes de informação em cada um, com dados sobre os subsistemas da plataforma e suas cargas úteis. Isto foi possível graças a comandos enviados pela estação da empresa ISIS, em Delft, Holanda, que inibiram a transmissão do beacon em modo de segurança substituindo-o pelo de modo nominal.

    Os dados indicam que todos os subsistemas da plataforma, exceto as baterias, apresentam temperatura e corrente estáveis e dentro do esperado. A rotação do satélite é pequena a ponto de não impedir a transmissão ou recepção a bordo dos comandos. Foram recebidos dados das três cargas úteis a bordo que continuam com performance nominal.

    Esta modificação foi feita apenas para algumas órbitas. Como ela funcionou a contento será agora tentada de forma definitiva. Isto apresenta alguns riscos que a gerência do projeto admite correr em virtude que a vida útil do NanosatC-Br1 já se estende por um ano e 5 meses, acima portanto das expectativas. Caso ela seja bem sucedidas mais dados dos experimentos serão obtidos.

    4 de Novembro

    - Os dados transmitidos pelo único experimento do NanosatC-Br1 que ainda não havia concluído a sua análise, foram validados e aceitos em reunião realizada hoje no INPE da gerência técnica do projeto, com a responsável pelo experimento, Profa. Fernanda Kstermindt, da UFRGS, e a equipe do software de solo que os decodifica. O FPGA teve um comportamento dentro do esperado com o software tolerante a falhas desenvolvido para ele. Estes dados agora serão utilizados para uma versão 2 do experimento que voará como carga útil do NanosatC-Br2. Assim, os três experimentos do NanosatC-Br1 foram bem sucedidos.

    21 de Outubro

    - Depois de um período transmitindo apenas dados limitados da plataforma em modo de segurança, o NanosatC-Br1 hoje transmitiu dois beacons em modo nominal com cerca de 160 bytes de informação do satélite, inclusive das três cargas úteis. Todas as cargas úteis e sub-sistemas do NanosatC-Br1, exceto as baterias, operam em valores nominais. Estes beacons foram obtidos a partir de comandos enviados pela estação da empresa ISIS, em Delft, Holanda, que foi a fornecedora da plataforma e que alterou alguns dos parâmetros iniciais de operação do NanosatC-Br1. Nas próximas órbitas serão enviados comandos para que estas alterações sejam permanentes. Caso bem sucedidos, a missão passará novamente a gerar dados de seus experimentos e não apenas de sua plataforma, sendo estes em muito maior número.

    2014 [+]
    22 de Dezembro

    - A equipe do Programa NanosatC-Br deseja a todos os seus seguidores e amigos um Feliz Natal e um 2015 com muitos outros cube e nanosats!!

    - O site do Programa NanosatC-Br tem até hoje uma média de um visitante a cada 85 minutos. Ou seja, a cada órbita do NanosatC-Br1 o site recebe em média um visitante. Estas visitas até hoje originaram-se de mais de 45 países. Na última semana houve visitantes, além do Brasil, do Japão, Alemanha, França, México e China.

    Para ver o trabalho completo sobre o circuito projetado pela SMDH clique aqui

    19 de Dezembro

    - O NanosatC-Br1 completou hoje 6 meses em órbita. A última transmissão do satélite hoje foi obtida pelo radioamador Paulo Costa Leite, prefixo PV8DX, que colabora com o projeto desde o seu lançamento, assim como vários outros radioamadores brasileiros. Paulo, cuja estação fica em Roraima, captou esta transmissão quando o NanosatC-Br1 estava sobre o Caribe, e gravou um vídeo comemorativo da data que pode ser visto em https://www.youtube.com/watch?v=kYLb9s7aFB4&feature=youtu.be. Ao Paulo, assim como a todos os radioamadores que nos ajudaram no rastreio do NanosatC-Br1, mais uma vez, nossos melhores agradecimentos.

    12 de Dezembro

    - A Agência Espacial Brasileira - AEB comunicou hoje aos responsáveis pelo desenvolvimento do NanosatC-Br2 (o segundo cubesat do Programa NanosatC-Br) a concessão dos recursos necessários para o seu lançamento (mais informações sobre este cubesat podem ser vistas neste portal na aba "Missões"). Antes, também o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, MCTI, já havia comunicado a concessão de recursos diretamente à UFSM (com quem também o NanosatC-Br2 será desenvolvido em cooperação), para a finalização das cargas úteis do NanosatC-Br2. Com isto todos os recursos para a finalização, lançamento e operação do NanosatC-Br2 já estão disponíveis. O processo para a contratação do seu lançamento já foi iniciado.

    28 de Novembro

    - Um dos experimentos tecnológicos do NanosatC-Br1, um circuito integrado projetado pela Santa Maria Design House - SMDH, da UFSM, para uso no espaço com proteção à radiação começa a publicar seus primeiros resultados. Este circuito foi sugerido pela Divisão de Eletrônica Aeroespacial - DEA, do INPE em função de suas possíveis necessidades futuras em alguns dos projetos de satélites de maior porte do INPE. Estes primeiros resultados são de grande relevância até o momento. Os dados obtidos na parte do circuito projetada para resistir à radiação apresentam significativas tolerâncias quando comparados com os inúmeros SEE (single event effect) da parte do circuito sem esta tolerância. Estes dados são combinados com os fornecidos pelo EMBRACE (Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial), do INPE, para a atividade solar no período pós lançamento do NanosatC-Br1 (19 de Junho de 2014), para determinação quantitativa desta tolerância e, portanto, validação da biblioteca de rotinas desenvolvida pela SMDH para projetar circuitos com tolerância à radiação. O trabalho será publicado no 1º Workshop Latino Americano da Academia Internacional de Astronáutica sobre CubeSats, a se realizar na UnB, em Brasília de 8 a 11 de Dezembro. Neste mesmo evento 6 outros trabalhos serão apresentados sobre o NanosatC-Br1 e NanosatC-Br2, feitos por alunos, engenheiros e pesquisadores que participam destes projetos.

    Para ver o trabalho completo sobre o circuito projetado pela SMDH clique aqui

    19 de Novembro

    - O NanosatC-Br1 completa hoje 5 meses em órbita. A despeito das dificuldades operacionais causadas pela baixa tensão nas baterias nos últimos 30 dias, ele já gerou cerca de 4 meses de dados em operação nominal, obtidos em mais de 1.500 órbitas. O primeiro resultado obtido com estes dados foi publicado hoje na página principal do portal do INPE (www.inpe.br) e na sua área de NOTÍCIAS (http://www.inpe.br/noticias/noticia.php?Cod_Noticia=3769) com um texto explicativo. É o primeiro mapa da Anomalia Magnética da América do Sul, com seus valores teóricos obtidos de modelos, com uma órbita do dia 17 de Agosto do NanosatC-Br1 sobreposta a ele. No traço reto da órbita no mapa estão indicados os tempos de leitura do magnetômetro e os respectivos valores obtidos com ele do campo magnético da Terra, e que podem então ser comparados aos valores nas curvas no mapa dadas pelo modelo. São resultados que comprovam o sucesso da missão.

    01 de Novembro

    - O Projeto NanosatC-Br1 passa a contar com o seu repositório de dados operacional. Estes dados foram exportados pelas estações de Santa Maria e a no ITA e constituem em arquivos com dados das cargas úteis e da plataforma do NanosatC-Br1 obtidos seja através do beacon em modo nominal seja por telemetria dos respectivos arquivos gravados a bordo com estes dados. O acesso é feito através da "Área Restrita" deste site através de senha concedida pela Gerência do projeto. Estes dados já estão sendo acessados por diferentes pesquisadores, tecnologistas e estudantes de várias partes do país e do exterior.

    17 de Outubro

    - O NanosatC-Br1 vem apresentando problemas de tensão nas suas baterias. Foram efetuadas medidas operacionais para elevação desta tensão com sucesso relativo. Todos os demais subsistemas do satélite funcionam a contento. Para continuar a obter dados válidos das cargas úteis porém é necessário que a tensão nas baterias seja elevada do nível atual. Até hoje geramos mais de 3 meses de dados das cargas úteis. Entretanto, caso não seja possível continuar a obtê-los estenderemos a vida útil do NanosatC-Br1 como um cubesat instrumento tecnológico e educacional. Através da sua operação de solo, serão realizadas funções a bordo que nos sejam úteis para aplicação no próximo cubesat do Programa, o NanosatC-Br2. E também disponibilizando o NanosatC-Br1 para utilização pela comunidade brasileira de radioamadores, combinado com propósitos educacionais, como o exemplo abaixo da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul. Estas possibilidades e propostas estão preliminarmente em discussão e abertas a sugestões.

    01 de Outubro

    - O NanosatC-Br1 está sendo usado nas aulas de Física III da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, pelo Dr. Rafael Haag, professor naquela Universidade e que, desde as primeiras órbitas do NanosatC-Br1 o rastreia com a sua estação de radioamador localizada em Porto Alegre.

    10 de Setembro

    - O efeito dos SEUs e o reset do NanosatC-Br1 por mais de uma vez em curto período de tempo reduziu a tensão nas baterias. Foram necessárias medidas operacionais, através da estação de Santa Maria, para aumentar esta tensão. Isto foi feito espaçando-se o intervalo de transmissão do beacon para um valor muito alto (9 hrs), o que poupa consumo de transmissão. Neste período os dados da plataforma foram obtidos pelos arquivos de house keeping da plataforma, obtidos com o envio de telecomandos específicos, notadamente para o subsistema de potência. O nível de tensão das baterias está em um nível mais confortável agora.

    12 de Setembro

    - Ontem, na passagem noturna sobre a estação de Santa Maria, pela primeira vez foi enviado ao NanosatC-Br1 um telecomando ao barramento I2C do computador de bordo para um endereço específico no micro controlador do subsistema de potência. O objetivo foi alterar o modo de operação deste subsistema para maximizar captação de energia dos painéis solares. O comando foi executado a bordo. Mesmo no modo anterior de operação do subsistema de potência, o satélite mantém-se com as baterias em 8V (carga máxima é de 8,2V), com transmissão e em eclipse, durante toda a passagem.

    - Dados recebidos na manhã de hoje na estação de Santa Maria indicam bateria com tensão máxima de 8,2V atingida durante toda a passagem e com transmissão de arquivo de bordo, o que demonstra o efeito da mudança no modo de operação do subsistema de potência.

    26 de Agosto

    - O Repositório do Programa NanosatC-Br está em fase pré-operacional. As telemetrias recebidas pela Estação Terrena de Santa Maria foram enviadas ao servidor do INPE/SJC para que os pesquisadores e usuários interessados possam acessá-las por meio da Área Restrita desta página. Esta fase realiza a Disseminação de Dados e conclui os procedimentos da fase "F", de Operação da Missão NanosatC-Br1.

    - Desde o dia 23 as Estações Terrenas de São José dos Campos e de Santa Maria receberam por passagem mais de 200 frames do NanosatC-Br1 entre dados de cargas úteis e dos subsistemas da plataforma, hardware e software.

    25 de Agosto

    - O Projeto NanosatC-Br1 faz parte dos destinatários de avisos de encontros próximos com outros artefatos espaciais oferecido pelo JSpOC - The US Joint Space Operations Center. Dia 22 recebemos o aviso de uma passagem a 178m. de distância, a ocorrer no dia 25 às 09:11 hrs., hora de Brasília, com o satélite desativado americano, lançado em 1959, Explorer-7. Os dois satélites em órbita de sentidos opostos, cada um a uma velocidade aproximada de 28.000 km/hr.

    22 de Agosto

    - A 01:25 hrs. UTC aproximadamente o NanoatC-Br1 entra em modo de segurança. Pela análise do beacon recebido neste modo de operação por vários radioamadores que, mais uma vez, contribuiram significativamente para a análise da ocorrência, isto pode ter acontecido por um single event upset (SEU) na região da Anomalia Magnética do Atlântico Sul.

    - Na passagem noturna neste mesmo dia pela Estação de Santa Maria o satélite é recolocado remotamente, de São José dos Campos, com telecomandos enviados pela Estação de Santa Maria, em modo nominal. Responde positivamente com o beacon digital do modo nominal e frames de dados da plataforma e das cargas úteis. Radioamadores no Brasil e no exterior confirmam o modo nominal.

    19 de Agosto:

    - Hoje o NanosatC-Br1 completa 2 meses em órbita

    - A estação localizada no ITA agora também já é capaz de enviar telecomandos ao satélite caso haja necessidade por alguma dificuldade na estação de Santa Maria.

    - Os dados das cargas úteis e da plataforma do NanosatC-Br1 são agora enviados para um banco de dados no INPE/SJC pelas estações de Santa Maria e no ITA, e acessados em área restrita através deste site.

    11 de Agosto:

    Telecomando enviado pela estação de Santa Maria para retornar o NanosatC-Br1 ao seu modo nominal é bem sucedido. Estações de Santa Maria e SJC/ITA recebem 30 frames do beacon em modo nominal reiniciando o recebimento dos dados das cargas úteis. Estação de radiamador em Sete Lagoa confirma recebimento em modo nominal.

    10 de Agosto:

    Beacon em Morse recebido por vários radioamadores no Brasil e no mundo (Sete Lagoas, Roraima, Japão, Holanda, Africa do Sul e EUA) e telemetrias recebidas nas estações de Santa Maria e SJC/ITA indicam temperaturas, voltagens e parâmetros normais no satélite, bem como funcionamento nominal da memória flash.

    9 de Agosto:

    Telecomando enviado para esvaziar a memória flash de bordo e reinicialização do computador de bordo. Telecomando bem sucedido e estação de Santa Maria recebe telemetrias indicativas do esvaziamento da memória flash. Como consequência da reinicialização do computador de bordo, o satélite retorna ao modo de segurança e reinicia a transmissão do beacon em código Morse deste modo de operação.

    8 de Agosto:

    Com os dados recebidos por telemetria e a integração de esforços dos desenvolvedores, operadores (alunos) e radio amadores diagnosticou-se a necessidade de se esvaziar a memória flash de bordo com a consequente reinicialização do computador de bordo.

    6 e 7 de Agosto:

    Comunicação feita por telecomandos e telemetrias correspondentes para análise dos dados recebidos e possível diagnóstico.

    5 de Agosto:

    Ainda sem recepção do beacon.

    2 de Agosto:

    Neste dia o NanosatC-Br1 parou de transmitir o beacon em modo nominal, não sendo mais captado neste modo pelas estações de radioamadores nem pelas estações de Santa Maria e São José dos Campos, no ITA.

    19 de Junho

    - Com grande satisfação informamos que hoje o NanosatC-Br1 completa o seu primeiro ano em órbita. E que ontem, recebemos ainda várias telemetrias em modo nominal com informações sobre suas cargas úteis e subsistemas da plataforma. Apesar das baterias não estarem mais conseguindo reter sua carga, todos os outros subsistemas e cargas úteis continuam funcionando e gerando dados. Ou seja, na parte da órbita iluminada pelo Sol, ele opera nominalmente quando a carga na bateria supera o limite mínimo de 6,5 V.

    17 de Junho

    - O NanosatC-Br1 completará em dois dias um ano em órbita. Esta semana ele foi captado na Holanda, Inglaterra, Alemanha e Japão, em latitudes que são mais favoráveis para permitir a carga das baterias ao sol durante o tempo de passagem por estações de radioamadores nestes países. Pelos dados transmitidos os subsistemas da plataforma estão em correntes e temperaturas dentro do esperado, exceto as baterias, como também esperado.

    - Hoje, a estação da ISIS em Delft, Holanda, além de conseguir rastrear o NanosatC-Br1 conseguiu enviar a ele um telecomando que foi imediatamente respondido pelo satélite em modo nominal. Isto demonstra, que exceto pela dificuldade de carregar as baterias durante o período iluminado da órbita, os seus outros subsistemas parecem operar normalmente.

    - Será feita uma tentativa operacional de se desligar as baterias permanentemente com a energia passando a ser recebida pelos subsistemas diretamente dos painéis solares. Este modo de operação só poderá ser útil durante as passagens iluminadas sobre as estações. Mas poderá estender significativamente a vida útil d NanosatC-Br1 e expandir o seu banco de dados das cargas úteis em solo.

    20 de Abril

    - O NanosatC-Br1 completou ontem 10 meses em órbita. Ele foi captado ontem em modo de segurança pelo radioamador PV8DX (Paulo Costa Leite) em Boa Vista, Roraima, um dia após o Dia do Radioamador. A transmissão pode ser vista e ouvida no seguinte link: https://www.youtube.com/watch?v=haexdV9hI0o

    - Em laboratório o modelo de engenharia do NanosatC-Br1 (idêntico ao modelo de vôo, exceto por não conter painéis solares) está recebendo e executando telecomandos enviados por equipamento de radio amador. Este software, desenvolvido especificamente com este fim, será distribuído a alguns radioamadores brasileiros em uma tentativa do envio de telecomandos ao NanosatC-Br1 por estas estações.

    4 de Abril

    - Neste Sábado de Aleluia, o NanosatC-Br1 foi novamente captado pelo radioamador Paulo Costa Leite em sua estação em Boa Vista, Roraima. Com isto ele completa 9 meses e meio no espaço em funcionamento. Além da experiência e dados que este período trouxe, ele cria também um histórico de vôo para seus componentes e subsistemas e estabelece uma perspectiva de vida útil que serão usados em futuros projetos. No momento a bateria do satélite não está mais retendo carga, e ele funciona apenas com a energia diretamente gerada pelos painéis solares, o que limita a sua operação. Entretanto ainda existe possibilidade que ele possa ainda ser utilizado em outros experimentos operacionais.

    8 de Março

    - Mais uma vez o NanosatC-Br1 foi captado pelo radioamador Paulo Costa Leite (prefixo PV8DX), de Roraima, captou o NanosatC-Br1 com elevação de 1°. Veja o vídeo em https://www.youtube.com/watch?v=xVo9Pdst32c&feature=youtu.be (obs: no vídeo há um erro de digitação - a faixa de corrente atual do NanosatC-Br1 é 100 - 200 mA, e não 10 - 200 mA como foi escrito sobre o vídeo da estação).

    15 de Fevereiro

    - NanosatC-Br1 captado hoje em em código Morse. Corrente do satélite permanece em valor nominal. Temperatura um pouco abaixo da normal devido à saída da parte da eclipse da órbita. Voltagem da bateria pouco acima da mínima necessária para transmissão do beacon. Nos próximos dias serão testados procedimentos operacionais tentando novamente obter dados das cargas úteis, tanto pela estação de Santa Maria quanto pela de São José dos Campos.

    04 de Fevereiro

    - Após vários dias sem ser captado na estação de Santa Maria, o NanosatC-Br1 foi captado hoje por esta estação em modo de segurança transmitindo em código Morse.

    25 de Janeiro

    - Após alguns dias sem ser ouvido na estação de Santa Maria, o NanosatC-Br1 foi captado hoje por uma estação de radioamador em Roraima (Paulo Costa Leite PV8DX) em modo de segurança transmitindo em código Morse sobre o Sudeste. O satélite completa assim 7 meses em órbita.

    Parceiros